sexta-feira, 5 de outubro de 2007

relexos

por vezes o interior só se revela por reflexo




esta peça começou com uma estrutura de arame, recebeu corpo de espuma e revestimento em tecidos, (os tecidos são de restos de tapeçaria que um antigo vizinho tapeceiro guardava para mim) depois entrou o espelho redondo que encontrei numa calçada, nos restos de mudança de alguém, os botões amarelos eram da coleção de botões que herdei de minha avó.

10 comentários:

Marcio Gaspar disse...

silvia: a cada dia me surpreendo com a sua original, delicada e bela produção. você tem que expor isso em algum lugar, para além do virtual, minha amiga!!! BJS!

disse...

ô, márcio, que legal
talvez este espaço virtual seja um ensaio, quem sabe...

franka, a madrinha disse...

j� eu gostei da parte que fala que o interior da gente �s vezes s� se revela por reflexo.
puuuta frase.

disse...

é, franka, olhar direto pode ofuscar!

GUGA ALAYON disse...

O marcio está com toda razão.
Já tem dois interessados.

disse...

legal, guga, obrigada pela força!

marcio disse...

as fotos estão à altura do trabalho... na verdade gostei especialmente das trâs ao lado direito!
beeeejo

marcio disse...

*agora que comentei tudo não tens do que se queixar!
::)

Rogerio disse...

de um analista ouvi um dia algo assim: "para lidar com nossos dramas interiores sempre procuramos um caminho indireto, enfrentá-los diretamente seria insuportável". Para tanto, um jogo de espelhos, cai bem

disse...

os jogadores de basquete usam a tabela, rogério
cada um acha seu caminho.